Pin It

A pauta ambiental da novela Velho Chico #VireCarranca

Personagem Zé Pirangueiro, o pescador da novela Velho Chico

Sabe a novela Velho Chico? Tem um personagem que desde a primeira vez que eu vi me fez lembrar da campanha #VireCarranca que aborda a importância do rio São Francisco. O pescador Zé Pirangueira, representado pelo ator José Dumont, que é o reflexo da degradação do rio São Francisco, pois vê, a cada dia, minguar o seu sustento. O desaparecimento gradual dos peixes do São Francisco é responsável por seu alcoolismo que resulta na separação da esposa.

No ar já há quase 3 meses, deu para perceber que as questões ambientais tratadas na novela irão além do Velho Chico.  O ponto central da trama é a busca pelo equilíbrio entre homem, natureza e formas de produção, tendo como cenário o rio São Francisco. 

Já nas primeiras cenas da segunda fase da personagem Teresa (interpretada por Camila Pitanga), vemos uma máquina pulverizando uma nuvem de veneno sobre uma gigantesca plantação de manga na fazenda da família, e a mesma questionando o pai, Coronel Afrânio (interpretado por Antonio Fagundes) sobre o uso excessivo de agrotóxicos:

“Isso aqui é veneno e tem uma série de procedimentos e normas que tem que ser cumpridos, Coronel”. O comentário irrita o latifundiário, que ainda foi desafiado pela filha a comer a manga úmida de veneno que ela trouxera da plantação. “Eu não planto para comer, eu planto para vender”, disse o empresário rural. Ela então eleva o tom de voz para dizer que se recusa a entregar aquelas frutas para os clientes.

teresa-velho chico

Cena em que Teresa identifica o uso abusivo de agrotóxicos na plantação.

O diálogo reproduz em poucos minutos um dos mais graves problemas ambientais do Brasil, país campeão mundial de agrotóxico onde o uso indiscriminado de veneno nas lavouras (alguns dos quais proibidos pela Anvisa) sem fiscalização adequada, assegura lucros exorbitantes para o setor químico e produtores inescrupulosos.

Nos últimos capítulos um novo personagem tem ampliado as temáticas ambientais, o agrônomo Miguel (interpretado por Gabriel Leone), que ao retornar para a cidade fictícia de Grotas, objetiva promover uma agronomia sustentável e orgânica na região, mas é ignorado pelo avô:

Afrânio torna para o neto com desprezo e responde: “No dia que ‘consevação’ engarrafada vendê mais que manga no mercado, eu viro o maior ambientalista que esse país já viu! Até lá, vô vendêno minhas fruta que é mais negócio!”.

miguel velho chico

Miguel em cena que vistoria a plantação do seu avô.

Mas como a novela mal começou, o tema ainda vai longe, ainda mais agora que a personagem Olívia (interpretada Giullia Buscacio) conheceu Miguel e está se interessada em implementar na cooperativa de produtores uma nova forma de plantio:

“É a maneira como a natureza produz: a lógica da vida e da abundância, não da morte e das monoculturas pobres que se vê em tudo que é canto por aí”, explicará Miguel sob o olhar atento de Olívia.

cooperativa - velho chico

Olívia e o seu pai Santo, líder da Cooperativa de Plantadores

Aí você me diz: mas Aline, é novela…. Você já pensou no alcance que uma novela de horário nobre possui? No último mês o Jornal Nacional alcançou uma média de 27 pontos de audiência no Ibope, a novela Velho Chico exibida logo em seguida, 28 pontos.  E  não é novidade que as novelas tem um importante papel social ao abordarem temas do cotidiano de nossa sociedade (Saiba + “A novela e seu papel social“).

Claro que para ser efetivo a abordagem de temas sociais e ambientais precisa ser feita com responsabilidade. No caso da novela Velho Chico, a Globo selou uma parceria inédita com a organização ambiental Conservação Internacional (CI-Brasil), que fará a colaboração técnica de conteúdo para a novela.

A parceria se dará por uma agenda de colaboração permanente dos especialistas da CI-Brasil com os autores da novela. Velho Chico traz histórias de produtores rurais, fazendeiros e pescadores que têm suas vidas entrelaçadas pelas transformações vividas pelo rio São Francisco. À medida que eles vão se deparando com os dilemas próprios de quem vive na região – a escassez de água, a devastação – a CI-Brasil alimentará os autores de informações técnicas que possam enriquecer as tramas de alguns personagens. Para além da história de amor que conta Velho Chico, a Globo e a CI-Brasil pretendem sensibilizar o público para a transição para um modelo de agricultura sustentável, onde manter a natureza protegida é parte da solução para garantir a produção alimentar e o bem-estar da sociedade (fonte: Rede Globo).

Eu fico aqui na torcida para que as questões ambientais não se percam ao longo dos capítulos. E vocês, o que estão achando?

 

Campanha VireCarranca

#VireCarranca!

Dia 3 de junho foi o Dia Nacional em Defesa do Velho Chico e, pra isso, o CBH do Rio São Francisco criou a Campanha #VireCarranca, para chamar a atenção da necessidade da revitalização do rio São Francisco e seus afluentes, que estão vivendo uma situação triste. Saiba mais em virecarranca.com.br.

Comments

comments

2 comentários sobre “A pauta ambiental da novela Velho Chico #VireCarranca

  1. Renato De Paiva Guimaraes

    Acho a iniciativa maravilhosa. O único problema, na minha opinião, é que acho que não se encontrou o tom ainda. Os textos desta parte soam um pouco didáticos demais ainda (os americanos chamariam de lecturing), pouco atraentes e um tanto complexos. Mas é um enorme passo adiante.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: