Pin It

Ou a gente muda de atitude, ou vira estatística

Em 1994, quando eu tinha ainda 14 anos, recebemos a noticia que meu pai havia morrido em um acidente na temida Rodovia da Morte (BR 116, no trecho que liga São Paulo a Curitiba).

Meu pai fazia um frete com a sua perua, e após uma colisão com um caminhão, aos 37 anos deixou além de viúva, eu e mais 3 filhos, com 13, 6 e 3 anos. O acidente se quer foi investigado, meu pai passou a ser somente mais um número, na nossa guerra diária que só em 2015, matou mais de 6 mil pessoas em acidentes de trânsito somente no Estado de São Paulo.

Como eu disse, o acidente que vitimou meu pai (e seus 2 passageiros), se quer foi investigado, então nunca saberemos qual foi a causa. Mas segundo dados do Movimento Paulista de Segurança no Trânsito, 94% dos acidentes ocorridos no estado foram causados por FALHA HUMANA.

E pra lidar com essa triste realidade, que nasce a campanha “Ou a gente muda de atitude, ou vira estatística”, com a meta é reduzir pela metade o número de vítimas fatais em acidentes de trânsito do Estado de São Paulo até 2020.

A campanha é principalmente direcionada aos públicos que detêm os maiores índices de acidente de trânsito segundo levantamento do Sistema de Informações Gerenciais de Acidentes de Trânsito do Estado de São Paulo (00):

  • motoristas – 94% dos acidentes fatais são causados por falhas humanas;
  • pedestres – atropelamento de pedestres é a segunda maior causa de mortes no trânsito;
  • homens motociclistas – 41% das vítimas fatais no estado de São Paulo são homens com idade entre 18 e 29 anos.

Não espere acontecer com alguém próximo para levar em frente a mensagem de mudança de comportamento no trânsito: #NãoVireEstatística!

Mais informações nas redes sociais:
Facebook: MPSTransito
Twitter: @MPSTransito
Youtube: Movimento Paulista de Segurança no Trânsito
Instagram: @mpstransito
Site: vidadepreferencia.com.br

Comments

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: