Pin It

Eu apoio a periferia na comunicação pública

Em janeiro deste ano durante a 7º Campus Party eu participei de um bate-papo sobre a importância da comunicação comunitária. Para quem talvez não tenha ouvido este termo antes, a comunicação comunitária é feita através da participação e do compromisso com a comunidade. Surgiu da necessidade de democratizar a informação, sem que ela tenha passado por um filtro editorial, importante alternativa para promover e ampliar o debate sobre as relações entre comunicação, educação e comunidade (Saiba + no site do Observatório da Comunicação Comunitária).

Uma fala latente neste bate-papo, foi sobre o importante papel que a comunicação comunitária tem de dar voz a periferia, que não se vê representada nas mídias tradicionais, aonde geralmente só aparece nos noticiários policiais.

O Rene Silva e o Voz da Comunidade é um caso emblemático. Para ele, a visão da grande mídia sobre as comunidades do morro mudou desde que começaram as pacificações, mas ainda há problemas na apuração. “A grande mídia não destaca os problemas sociais que existem dentro das comunidades, então a gente precisa ter um espaço pra mostrar o que está acontecendo“. Para mim o mais lindo da comunicação comunitária, é a habilidade de mostrar as pessoas que estão naquele contexto, é um lance mais humanizado sabe? E com um poder transformador imensurável, pois possibilita que o cidadão crie vínculos com a sua sociedade, esta noção de pertencimento é essencial para promover pequenas grandes revoluções.

No bate-papo comentei também que a Internet e uma ferramenta, não é ela que vai mudar a nossa realidade, mas sim as pessoas que estão por trás dela. É uma poderosa forma de empoderamento destas pequenas revoluções que estão espalhadas por aí, o mesmo vale para os demais meios de comunicação. Exatamente por isso apoio a candidatura do Enderson Araújo do Mídia Periférica para o conselho curador da EBC. Mas vamos por partes, você conhece a EBC?

A EBC – Empresa Brasil de Comunicação, é uma instituição da democracia brasileira: pública, inclusiva e cidadã.

Criada em 2007 para fortalecer o sistema público de comunicação, é gestora dos canais TV Brasil, TV Brasil Internacional, Agência Brasil, Radioagência Nacional e do sistema público de Rádio – composto por oito emissoras. Estes, por sua independência editorial, distinguem-se dos canais estatais ou governamentais, com conteúdos diferenciados e complementares aos canais privados.

É um grupo de comunicação público, ou seja, recebe dinheiro público, então nada mais justo que represente em sua totalidade a nossa sociedade. Uma das formas para promover isso, é através do Conselho Curador:

O Conselho é o instrumento de participação da sociedade na gestão de empresas públicas de comunicação, diferenciando-os dos canais meramente estatais, controlados exclusivamente por governos ou poderes públicos.

O Conselho Curador da EBC (de todos os seus canais e não apenas da TV Brasil) é composto por 22 membros: 15 representantes da sociedade civil, quatro do Governo Federal (ministros da Educação, Cultura, Ciência e Tecnologia e Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República), um da Câmara dos Deputados, um do Senado Federal e um funcionário da Empresa.

Mas afinal porque estou apoiando o  Enderson?

Conheci o Mídia Periférica através da fanpage do TEDxPelourinho. O Enderson foi um dos TED Talks, com o tema: A Voz Da Periferia Conquistou o Mundo Através de Um Sonho, em que ele contou um pouco de sua história pessoal do Mídia Periférica que atua em Salvador. No vídeo institucional abaixo ele explica a iniciativa:

Alguma dúvida que me apaixonei? E claro que achei o máximo quando soube que ele estava se candidatando ao conselho da EBC. Pude perceber através de sua equipe tudo de bom que estava na Campus Party, que há sim espaço e boa vontade para que abrir espaços de diálogos mais colaborativos dentro do grupo. Mas para isso, é preciso que nós “ocupemos” esta mídia que afinal é nossa. EU quero ver a periferia na comunicação pública, e quem sabe muito breve, em outros espaços mais tradicionais também.

Enderson Araujo no COnselho da EBC

No Brasil a exclusão tem lugar, cor e idade determinada: são os jovens negros e da periferia. Por isso, Enderson Araújo, um dos fundadores do Mídia Periférica de Salvador, Bahia, apresenta uma candidatura para esse espaço. Enderson dialoga com as práticas cotidianas das comunidades que tem conseguido emergir na internet, produzindo conteúdos culturais sob inovações estéticas e uma articulação social ancorada nas vozes das ruas.

Você apoia também esta idéia? Então compartilhe essa mensagem em suas redes. Aqui tem o link da postagem com esta foto acima no Facebook, mostre o seu apoio! Ele será essencial para a candidatura do Enderson.

 

Créditos da foto sobre o bate=papo na Campus Party: Anderson Falcão, Portal EBC.

Comments

comments

2 comentários sobre “Eu apoio a periferia na comunicação pública

  1. Pingback: Festival Visões Periférica está com inscrições abertas até 23 de maio

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: