Pin It

Explorando o centro de São Paulo #SP460anos

E hoje São Paulo faz 460 anos. Ahhh essa cidade que tanto amo, a pauliceia desvairada que ainda no início de sua efervescência foi descrita na obra de Mário de Andrade em 1922, cantada  nos anos 90 pela carioca Estácio de Sá, essa cidade tão plural que sim, tem os seus problemas, mas tem também as suas belezas.

São quase 12 milhões de paulistanos, e um total de 20 milhões em seu entorno, nas cidades da Grande São Paulo que tem o seu cotidiano tão ligado a aniversariante do dia (dentre as quais, esta moradora de Guarulhos que vos escreve). Mas quantos de nós pouco (ou quase nada), conhecemos de nossa cidade? Sempre correndo, na doideira da cidade que não para, acabamos ignorando suas belezas, e sua história.

Sou uma apaixonada pelo centro de São Paulo, me recordo quando por volta de 1998 caminhei pela primeira vez no calçadão da região central de noite, a bela imagem de descer o Boulervard São João, e ver ao fundo o Banespão decorado para o Natal, e a minha frente a dança das águas e das luzes do antigo chafariz do Anhangabaú (interditado pouco tempo depois).

chafariz anhangabau com o prédio dos correios ao fundoNota: foto tirada do lado oposto ao que descrevo acima, com a sede dos Correios ao fundo.

E olhe que legal, enquanto escrevia este post apareceu em minha timeline um vídeo bem legal do @andandoporsp com uma dica de roteiro de passeio noturno pelo centro de São Paulo. O ponto de partida é bem pertinho do local da foto acima, o Teatro Municipal:

Em 2008 (gente como faz tempo), tirei um dia com o meu marido para explorarmos o centro da cidade. Como estávamos somente com um daqueles celulares “mptudo” xingling que se vendia na época, não tenho registros fotográficos 🙁 , mas listo aqui alguns destaques do roteiro que fizemos:

  • Igreja da Sé: procure a secretária para fazer uma visita monitorada, assim você poderá visitar as áreas restritas e ouvir do guia um pouco da história da maior construção em estilo gótico do país, saiba mais no site.
  • Edifício Altino Arantes (Banespão): inspirado no famoso Empire State Building, em Nova York, não há descrição do que é ver a cidade lá de cima. “Do alto do mirante, o raio de visão é de 360º e atinge 40 Km. De lá é possível ver a Serra do Mar, o Pico do Jaraguá, os prédios da Avenida Paulista e as principais construções do centro”. Saiba mais aqui.
  • Mosteiro São Bento: pense em um lugar tão silencioso que você fica até com receio de respirar muito alto…. e isso do ladinho da 25 de março e da Santa Ifigência, e ainda demos a sorte de chegar bem na hora em que os monges faziam uma oração com cantos gregorianos, maiores informações no site.
  • Mercado Municipal da Cantareira: você acredita que até esse dia eu ainda não tinha ido lá? Pois é! Claro que terminei o dia com o tradicional sanduíche com aproximadamente 300 grs de mortadela. Veja outras atrações no link.

Recentemente explorei o centro antigo em um passeio ciclistico que contei aqui, mas prometo fazer um post com mais detalhes das descobertas. Mês passado fiquei no Instagram babando em um roteiro que a minha irmã @Jenniinlive fez de última hora (porque se eu tivesse ficado sabendo antes, claro que teria me intrometido no meio). Ela aproveitou para visitar a pé, alguns dos principais (e sensacionais), espaços culturais da cidade. Veja o roteiro que ela fez em um sábado e as fotos na sequência:

  • Museu da Arte Sacra: uma das principais instituições brasileiras voltadas ao estudo, conservação e exposição de objetos relacionados à arte sacra, veja o site.
  • Pinacoteca: praticamente de frente ao Museu de Arte Sacra, é o mais antigo museu de arte de São Paulo, o acervo é incrível, e sempre tem novidades por lá, veja qual é a programação atual.
  • Museu da Língua Portuguesa: dedicado a língua portuguesa, tem o diferencial de ser super interativo, as obras são feitas para serem tocadas e experimentadas, no dia que minha irmão lá esteve, estava em cartaz a exposição Cazuza mostra a sua cara (que eu ainda não vi snif), e se você curte este incrível poeta, fica a dica que a exposição está em cartaz até 23 de fevereiro, veja mais informações no site.
  • MASP: destaque da linda Av. Paulista, é considerado o mais importante museu de arte ocidental do Hemisfério Sul. Mas está aí um museu que ainda não conheço, apesar de já ter passeado muitas vezes por lá… link do site.
  • Casa das Rosas: um espaço cultural dedicado a celebração da poesia, da literatura e da arte em geral, vale a pena ficar de olho na programação.

E se ainda te falta motivos para explorar o centro da cidade, que tal descobrir as surpresas gastronômicas do centro? Uma boa dia é o perfil no Instagram @pelocentro, mantido pela Sara Martinez. Ela me contou que mora e trabalha no centro de São Paulo e gosta muito, muuuuito mesmo de comer, rs… “Sempre postava fotos das comidinhas no meu instagram pessoal, alguns amigos comentavam que eu podia fazer um blog de dicas de SP. Comecei a pensar na ideia, mas quis filtrar um pouco, sabe? Tem muita coisa bacana no centro de São Paulo, lugares escondidos ou pouco divulgados e quase sempre bem barato. Seria quase como um diário meu, com os lugares que gosto de ir, compartilhado com meus amigos”.

Instagram  Pelo Centro

Há diversas formas de explorar e conhecer mais desta cidade tão cheia de contrastes, como disse a colunista do Jornal Hoje:contrastes para o bem, e para o mau“. Mas basta estar disposto, para mesmo na correria, fazer descobertas incríveis….compartilhei recentemente algumas das impressões que tive quando um parque cruzou o meu caminho:

Espero que uma destas dicas, lhes inspirem a fazer boas descobertas. E Sampa sua linda, obrigada por tudo!

3 comentários sobre “Explorando o centro de São Paulo #SP460anos

  1. Cris Guimarães

    Aqui e em São Paulo, adoro passear pelo Centro. Tem sempre um lugar interessante para visitar. Quando morava aí, conheci todos esses lugares. Primeiro, porque tive o privilégio de trabalhar no Centro e, depois, na Paulista. E, mesmo nos finais de semana, ia com o marido e os meninos. É isso que faz a cidade interessante, descobrir seus cantos, seus mistérios, muito além do usual cinza que víamos no dia a dia. Só quem se aprofunda em São Paulo é capaz de se apaixonar por ela.

    Beijo, lindona!

  2. Pingback: Se liga no Dicionário de Paulistanês

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: