Pin It

A Sustentabilidade no mundo pós-crise

Já falamos deste assunto aqui no blog, no post “A sustentabilidade como diferencial para enfrentar a crise global”, e pelo jeito esta é uma abordagem que está fazendo sucesso.

Na abertura da Mostra Fiesp/Ciesp de Responsabilidade Sócio Ambiental, a temática era “A Revolução Industrial, Econômica, Ambiental, Social e Política no Pós-crise Mundial”, revolução esta, ditada por novos modelos, o da sustentabilidade. Lembre-se: é preciso subverter….

Prof. Gutemberg – FECOMÉRCIO, ganhador do prêmio Planeta Azul comentou que, 80% de toda energia consumida no mundo vem de combustíveis fosseis. Nos últimos leilões de energia no Brasil, usinas que utilizam de fontes poluentes sairam ganhadoras, precisamos incentivar energias limpas como as aeólicas, o Brasil não pode andar na contra-mão,  não podemos nos deixar iludir com enormes possibilidade de recursos energéticos como no pré-sal, que ainda precisam ser melhor exploradas e desenvolvidas, não podemos abandonar o Etanol.

Ainda falando sobre o compromisso de buscar fontes limpas de energia e redução de impactos, Prof. Gutemberg comentou anuncio de página inteira da Braskem no Estadao, fazendo uma declaração de que eles publicam um balanço de tudo que emitem,” isso é que dá seriedade ao comportamento das empresas que adotam o discurso de sustentabilidade. Há empresas que investem em uma creche em uma favela próxima, e acham que assim estão corrigindo o impacto de suas atividades”. digam se esta declaração não foi forte!?

O Secretário Francisco Graziano Neto – Secretaria de Meio Ambiente do Estado de São Paulo, em sua exposição comentou que há sim, empresas que utilizam a agenda da Sustentabilidade para se promover, mas ele acredita, que nós estamos nos liminares de uma grande mudança da economia, que como qualquer mudança em seu inicio é desacreditadas, mas há um sincero movimento em direção desta mudança, e as empresas que não estão comprometidas com a sustentabilidade, logo perderão terreno.

Para encerrar, Octavio de Barros – Economista Chefe do Banco Bradesco citou Victor Hugo, “Nada mais poderoso do que uma idéia cujo momento tenha chegado”, há temas em que há um processo lento e cumulativo, muitas vezes não percebemos que as mudanças vem acontecendo.

Como vocês puderam perceber, o discurso é de que questões de sustentabilidade são urgentes para as empresas que querem sobreviver na nova economia mundial, pelo menos no discurso todos estão alinhados, vamos ver na ação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: